Slider

Arnaldo Ferreira: Movimento dos Militares cobram retratação pública do governador

O caso envolvendo governador Renan Filho (MDB) e o jornalista Arnaldo Ferreira, da Organização Arnon De Mello, ainda repercute na imprensa local. Eis que hoje, 14, o Movimento Unificado dos Militares do Estado de Alagoas enviou nota ao Blog Kléverson Levy repudiando o que eles consideraram “ato covarde” contra o profissional da comunicação em Alagoas.
No texto, as entidades que compõem o Movimento unificado criticaram a postura do governador que –  após uma semana do fato  – ainda não se manifestou publicamente  com uma retratação pública. Além disso, a nota trata o fato como sendo uma ‘política de desprestígio e desvalorização adotada pela gestão Renan Calheiros Filho contra os trabalhadores honestos do Estado’.
“As entidades que, juntas, compõem o Movimento Unificado dos Militares do Estado de Alagoas vêm a público repudiar o ataque covarde do governador Renan Calheiros Filho contra o jornalista Arnaldo Ferreira, profissional que goza do respeito dos colegas do batente e de vários segmentos da sociedade, inclusive da classe política, da qual o chefe do Executivo estadual faz parte. Uma semana se passou desde que o ato insano direcionado ao comunicador aconteceu e não se viu qualquer sinal de retratação pública por parte do governador, reforçando a política de desprestígio e desvalorização adotada pela gestão Renan Calheiros Filho contra os trabalhadores honestos do Estado”, diz o texto.
Ainda de acordo com o Movimento, as associações classificam a atitude do atual governador como ‘descabida e isolada’ e afirmam que RF tem caráter revanchista, munido de autoritarismo, e que não tem a capacidade para o contraditório. Ao mesmo tempo ressaltam a agressão uma afronta à liberdade de imprensa.
As associações que subscrevem esta nota classificam a atitude do atual governador como descabida e isolada, evidenciando o caráter revanchista de um gestor munido no puro autoritarismo e que não tem a capacidade para o contraditório. O ataque contra Arnaldo Ferreira mostra ausência de civismo e caracteriza ofensa extensiva a todos os profissionais de comunicação de Alagoas, que, no exercício pleno da profissão, são alvos de uma série de agressões verbais e constrangimentos públicos por quem deveria ser o exemplo de defesa da democracia. As entidades militares subscritas consideram a recente agressão ao profissional como uma afronta à liberdade de imprensa”, completa.
Por fim, as entidades lembram que – assim como o jornalistas – os militares de Alagoas também estão com seus direitos ‘vilipendiados’ pela atual gestão estadual.
Assim como os comunicadores foram atacados, os militares de Alagoas também estão com seus direitos vilipendiados pela atual gestão estadual. Em uma clara articulação com o Poder Judiciário, o governador tenta retirar da tropa a única garantia de progredir na carreira militar. Como o governo descumpre a lei, agora tenta sepultá-la de vez ao impedir que policiais e bombeiros busquem na Justiça o direito da promoção. Baseada em argumentos mentirosos do governo, a recente decisão do presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Tutmés Airan, anulando os processos de progressão decididos em 1º Grau, é uma afronta à classe militar, que está unida para combater esta anomalia jurídica”, diz a nota de repúdio contra o governador Renan Filho.

Confira a nota abaixo!

NOTA DE REPÚDIO AO GOVERNO RENAN CALHEIROS FILHO


As entidades que, juntas, compõem o Movimento Unificado dos Militares do Estado de Alagoas vêm a público repudiar o ataque covarde do governador Renan Calheiros Filho contra o jornalista Arnaldo Ferreira, profissional que goza do respeito dos colegas do batente e de vários segmentos da sociedade, inclusive da classe política, da qual o chefe do Executivo estadual faz parte.

Uma semana se passou desde que o ato insano direcionado ao comunicador aconteceu e não se viu qualquer sinal de retratação pública por parte do governador, reforçando a política de desprestígio e desvalorização adotada pela gestão Renan Calheiros Filho contra os trabalhadores honestos do Estado.


As associações que subscrevem esta nota classificam a atitude do atual governador como descabida e isolada, evidenciando o caráter revanchista de um gestor munido no puro autoritarismo e que não tem a capacidade para o contraditório.


O ataque contra Arnaldo Ferreira mostra ausência de civismo e caracteriza ofensa extensiva a todos os profissionais de comunicação de Alagoas, que, no exercício pleno da profissão, são alvos de uma série de agressões verbais e constrangimentos públicos por quem deveria ser o exemplo de defesa da democracia.


As entidades militares subscritas consideram a recente agressão ao profissional como uma afronta à liberdade de imprensa.


Assim como os comunicadores foram atacados, os militares de Alagoas também estão com seus direitos vilipendiados pela atual gestão estadual. Em uma clara articulação com o Poder Judiciário, o governador tenta retirar da tropa a única garantia de progredir na carreira militar. 


Como o governo descumpre a lei, agora tenta sepultá-la de vez ao impedir que policiais e bombeiros busquem na Justiça o direito da promoção. Baseada em argumentos mentirosos do governo, a recente decisão do presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Tutmés Airan, anulando os processos de progressão decididos em 1º Grau, é uma afronta à classe militar, que está unida para combater esta anomalia jurídica.


Sargento Gedson Ataíde, presidente da Assmal

Sargento Wellington Silva, presidente da ACS/AL

Major Alberto, presidente da Caixa Beneficente

Tenente Máximo, presidente da UPM

Sargento Wagner Simas, presidente da Aspra/AL

#VidaQueSegue

Email: kleversonlevy@gmail.com
Redes sociais: @kleversonlevy e @blogkleversonlevy
Deixe um comentário