webbanner_BEM+VALORIZA_728x90px
WhatsApp Image 2021-11-04 at 14.44.55 (3)

Tio e primo de Renan Filho deixam o PL com a entrada de Bolsonaro no partido

Por Kléverson Levy

Após a saída do ex-deputado federal e atual secretário de Estado da Infraestrutura (Seinfra-AL), Maurício Quintella, do Partido Liberal (PL), agora foi a vez do tio e primo do governador Renan Filho (MDB) deixarem a sigla que filiou o presidente Jair Bolsonaro (agora no PL).

Na tarde desta quarta-feira, 01, o ex-vereador de Murici, Renildo Calheiros, e o pai dele, Robson Calheiros, que é irmão do senador Renan Calheiros (MDB), anunciaram a saída do partido no estado.

De acordo com uma postagem em sua conta oficial no Instagram, Renildo explicou que os dois – pai e filho – ‘discordam da sórdida e oportunista entrada de Bolsonaro no partido’.

Ainda segundo o ex-vereador, que também postou uma foto ao lado de Maurício Quintella, não condiz ‘fazer parte de um partido que tem em suas hostes um cidadão que flerta com o fascismo’.

“Gostaria de comunicar aos amigos e correligionários que estamos nos desfiliando do Partido Liberal, eu e meu pai Robson Calheiros, por discordarmos da sórdida e oportunista entrada de Bolsonaro no partido. Sempre defendemos a democracia, sendo assim, não condiz com nossos posicionamentos fazer parte de um partido que tem em suas hostes um cidadão que flerta com o fascismo. Queremos agradecer a todos e dizer alto e bom som: #forabolsonaro! Em breve anunciaremos nossos novos caminhos. Abraço”, escreveu Renildo Calheiros.

Após 13 anos

Mais cedo, Maurício Quintella também anunciou – em suas redes sociais – que estava deixando o Partido Liberal (PL). Quintella disse que sai da sigla que estive filiado por treze anos.

Ainda na postagem, o ex-deputado federal agradeceu ao presidente Valdemar Costa, aos correligionários e afirmou que deixa o PL por ‘absoluta incompatibilidade com a política bolsonarista e tudo que ela representa’.

“Hoje deixo o PL ( Partido Liberal ) onde estive filiado por 13 anos. Agradeço ao Presidente Valdemar e a todos os meus correligionário. Saio pela porta da frente, representei o partido na mesa do Congresso Nacional,no Ministério dos Transportes,Portos e Aviação Civil,e tive a honra de liderar nossa bancada por duas vezes. Saio por absoluta incompatibilidade com a política bolsonarista e tudo que ela representa”, escreveu Maurício Quintella.

Em Tempo: a entrada do presidente Jair Bolsonaro vai causando uma desfiliação em massa, ao menos em Alagoas, de filiados que não compactuam com o ‘modelo bolsonarista’ de governar o Brasil.

É isto!

#VidaQueSegue

Email: redacao@blogkleversonlevy.com.br

Redes sociais: @blogkleversonlevy

Deixe um comentário