PMM---H1N1---728X90px (2)
PMM---BEM---WEBBANNER-728X90px (1)

Prefeita diz ser contra privatização do SAAE no município

Foto: Assessoria
No final do mês de maio deste ano, o Governo de Alagoas publicou – no Diário Oficial do Estado (DOE) – o decreto instituindo uma comissão especial de licitação para a concessão dos serviços públicos para fornecimento de água e esgotamento sanitário da região metropolitana de Maceió.

Com a privatização da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), os SAAEs da região serão afetados pelo decreto. A informação, portanto, gerou apreensão nos prefeitos dos municípios que mantêm seus próprios serviços nessa área de abastecimento de água.


Na Barra de Santo Antônio, por exemplo, a prefeita Emanuella Moura (PSDB) diz ser contra privatização do SAAE e afirmou que vai lutar – legalmente – para evitar que essa situação aconteça em seu município. 


Em nota enviada ao Blog Kléverson Levy, Moura explicou que determinou ao jurídico da Prefeitura que comece a agir no sentido de barrar qualquer interferência ou ação de retirada do serviço de abastecimento.


“Já determinei ao nosso jurídico que comece a agir, agora, no sentido de barrar legalmente qualquer interferência ou ação no sentido de nos tirar o SAAE. Vou lutar contra essa privatização em todas as instâncias que sejam necessárias”, disse a gestora.


Ainda na nota, Emanuella reforçou que ‘não vai abrir mão dessa prerrogativa enquanto for a prefeita da Barra de Santo Antônio’.


“Sou contra a privatização do SAAE e vou lutar contra isso em qualquer instância que seja necessário. Estou ao lado dos nossos servidores e da permanência do SAAE como órgão público do nosso município, não abrirei mão dessa prerrogativa enquanto for a prefeita da Barra de Santo Antônio. A nossa luta é pela melhoria desse serviço e nunca de que ele venha a ser privatizado”, conclui a prefeita Emanuella Moura.


Em Tempo: O Governo de Alagoas tornou público que se acha aberta a presente Licitação, na modalidade de Concorrência Pública, a ser julgada pelo critério de maior oferta, com o fim de selecionar a proposta mais vantajosa pela concessão dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário na região metropolitana.


De acordo com o edital, o valor mínimo de outorga a ser ofertado será de R$ 15.125.000,00 (quinze milhões, cento e vinte e cinco mil reais).

Redes sociais: @kleversonlevy e @blogkleversonlevy 

Deixe um comentário