webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px
webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px

Jornalistas alagoanos se unem contra redução salarial proposta por patrões

#ReduçãoSalarialNão!

Com esta hashtag jornalistas alagoanos decidiram começar uma luta contra os patrões que querem a redução do piso salarial da categoria – que atualmente é de R$ 3.565,27 – para exatos R$ 2.150,00.

No sábado, 27, vários profissionais se reuniram na sede do Sindicato dos Jornalistas de Alagoas (Sidjornal), em Maceió, e mostraram união contra a proposta oferecida pelos patrões que desejam – de certa forma – rebaixar e desvalorizar toda a classe no estado.

Os jornalistas, em votação ocorrida durante a reunião de sábado, decidiram dizer ‘NÉO’ ao que querem propor os donos das empresas de comunicação em Alagoas, como o Tnh1, TV Pajuçara, TV Gazeta, G1 Alagoas, Gazetaweb, OP9, TV Ponta Verde e Jornal Gazeta.

As empresas comandadas por políticos, a exemplo da TV Gazeta-Globo (senador Fernando Collor), Sistema Opinião de Comunicação (SBT e Grupo Hapvida) e TV Pajuçara-Record (ex-senador João Tenório), afirmam que mercado está em crise e o piso salarial de Alagoas é o mais alto do país.

Portanto, o Sindjornal havia iniciado a campanha salarial de 2019, em busca da reposição do índice da inflação no piso salarial, quando foram surpreendidos com a proposta patronal que reduzia o salário para R$ 2.150,00.

“O que os patrões esquecem de dizer é que aqui no estado de Alagoas o piso é o teto, ou seja, dificilmente um jornalista ganha mais do que o piso, independente do tempo de trabalho”, explicou Valdice Gomes, vice-presidente da Federação Nacional dos Jornalistas.

Além da redução do piso salarial, os patrões propõem ainda cláusulas que prejudicam os jornalistas como, por exemplo, querem acabar com o pagamento de hora extra, suspender gratificações extras de exercício de atividade de editor, autorização para tirar a negociação com sindicato e passar a negociar diretamente com os empregados.

“Fazia tempo que não víamos uma assembleia tão participativa. Isso é fundamental, porque o Sindicato está buscando todas as medidas jurídicas, mas, sem essa mobilização, não vamos conseguir reverter a situação que estamos enfrentando. É hora de manter a categoria unida”, declarou Izaías Barbosa, presidente do Sindjornal.

Todavia, os jornalistas alagoanos estão unidos na briga pela valorização e respeito à categoria que tanto tem contribuído com a sociedade alagoana na luta por direitos e conquistas para o cidadão.

Agora, é a hora dos estudantes, entidades, instituições, sociedade civil e organizada, além da população alagoana, se unir também aos profissionais da comunicação alagoana contra os verdadeiros políticos-patrões que querem acabar com nossas conquistas.

Afinal, #ReduçãoSalarialNão!

#VidaQueSegue

Email: kleversonlevy@gmail.com

Redes sociais: @kleversonlevy e @blogkleversonlevy

Deixe um comentário