Blog Kleverson LevyBlog Kleverson Levy

JHC discursou tenso e ufano para quem era o ‘dono da casa’ no Vergel

Notadamente, o prefeito João Henrique Caldas, o JHC (PL), em seu discurso para entrega das chaves de 914 apartamentos do Parque da Lagoa, no bairro Vergel do Lago, estava um pouco tenso em meio aos seus adversários que dividiam o mesmo palanque.

Em sua fala considerada o tempo todo ufana, onde expressava sempre o excesso de admiração por suas próprias qualidades e conquistas, o prefeito de Maceió não precisava se incomodar com quem não o incomoda eleitoralmente. Sua atuação como gestor já é vista e reconhecida normalmente na capital. 

O discurso de ‘passar a limpo’ quem fez ou não fez quando esteve administrando – antes – a capital alagoana ou o Governo de Alagoas, todavia, serão respostas que virão das urnas. Naquele momento, no evento oficial da presidência da República, caberia um pouco mais de senso nas palavras e lembrar o que disse Lula ao afirmar que “era institucional” e não partidário ou político.

Estadista, Lula conseguiu reunir os grupos políticos que se digladiam nos bastidores, todavia, deixando o fato registrado na história política de Alagoas. Colocar no mesmo espaço JHC, Paulo Dantas, Marcelo Victor, Renan Filho e Arthur Lira – em pleno 2024 – tornou-se histórico e épico.

Já o prefeito JHC deveria estar preparado para os ataques e situações que poderiam ocorrer nessas ocasiões políticas em ano eleitoral, principalmente, onde todos, mesmo que não queiram, se encontram frente a frente para citar suas conquistas ou benfeitorias – se é que existem.

Por outro lado, o palanque em que o presidente Lula (PT) reuniu adversários em Maceió foi quase que institucional. Porém, sabe-se que a turma do Palácio República dos Palmares levaria o discurso, assim como fez o governador Paulo Dantas (MDB), para o lado político-eleitoral.

Já JHC, apesar do discurso tenso e, ao mesmo tempo, ufano, era o ‘dono da casa’ entre todos os que se fizeram presentes ao evento no Vergel do Lago. Ou seja: na maioria das vezes, quando provocado, o silêncio incomoda mais que uma simples fala.

O prefeito de Maceió falou muito, mas não ponderou nas palavras acaloradas. Deu munição para os adversários saberem trabalhar. Lembrando: as vaias, os discursos e a “união” da classe política  no Vergel de Maceió, por algumas horas, foi uma verdadeira cena de novela.

A desunião, em Alagoas, faz a força. Viva Alagoas!

Veremos! 

É isto!

E viva a política dos políticos em Alagoas!

#VidaQueSegue

Email: redacao@blogkleversonlevy.com.br

Redes sociais: @blogkleversonlevy

Kleverson Levy

Especialista na cobertura política em AL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pressione ESC para fechar