Blog Kleverson LevyBlog Kleverson Levy

Garota Vip Maceió: exemplo que empresas em AL só visam lucros financeiros

Fotos: Giro 101

Há mais de uma semana do considerado ‘grande show’ realizado no sábado, 31, no Parque Shopping Maceió, consumidores não pararam de reclamar nas redes sociais sobre o Garota Vip Maceió 2019.

O Blog Kléverson Levy, inclusive, recebeu algumas dessas insatisfações e relata – com a verdade de quem estava presente – por também ter presenciado situações desastrosas no local.

Não desmerecendo os shows das bandas (Wesley Safadão, Léo Santana e Gustavo Mioto) que, de fato, fizeram o público aguentar – mesmo que com o espaço lotado deixando a desejar – até o final das apresentações.

Porém, o questionamento que se faz é sim pela falta de estrutura física, segurança, preços para o consumo de bebidas altíssimos e pátio lotado – sem respeitar o limite de vendas de ingressos.

Já indaguei, todavia, ao Procon-Alagoas e ao Ministério Público do Estado – (MPE-AL), sobre uma possível ‘intervenção’ por conta das cobranças abusivas nas vendas de ingressos – antes – e bebidas – no dia do evento – dentro da festa.

“Nestes casos, o princípio da livre iniciativa prevalece, uma vez que o evento é particular e o consumidor não é obrigado a consumir, não devendo o Estado interferir nos eventos particulares. O Procon pode notificar as empresas para apresentarem um esclarecimento em relação aos preços cobrados. Para isso, o consumidor deve denunciar o ocorrido, com o intuito de colaborar com a fiscalização do instituto Procon/Alagoas”, disse – à época – o Procon-AL.

Entretanto, é lastimável que, em Alagoas, cada vez mais fica claro que os Produtores de Eventos – no caso do show do Garota Vip que detém de grande público e proporção superior a pequenos shows – o interesse é apenas pelo lucro e a dinheirama que circula em poucas horas de evento.

Comparando o estado de Alagoas em relação aos preços altíssimos, ao valor que é praticado e cobrado em outros estados do nordeste, a exemplo de Pernambuco, Paraíba e Sergipe, que realizam eventos da mesma proporção e igual a Maceió, lá fora oferecem muito mais do que em nosso estado.

Ou seja, infelizmente, Alagoas é  um estado ‘pobre’ onde se cobra muito mais do que deveria ser oferecido ao povo alagoano. Uma pena!

Falta de Segurança

O Show do Garota Vip  foi mais além do que deixar a desejar para quem é consumidor. Pior ainda é quando paga para ser roubado dentro do evento.

O relato de algumas pessoas que registraram boletins de ocorrência (Bos), após procuraram o Procon Maceió, denunciando os furtos ocorrida no Garota Vip, aponta a deficiência de quem visa apenas ‘lucros’ e não a comodidade, segurança e, principalmente, respeito a quem compra ingresso caríssimo.

Na entrevista ao CadaMinuto, por exemplo, a enfermeira Jordana Rocha informou que, no momento do ocorrido, procurou a equipe de segurança do evento, alegando que cerca de 30 pessoas teriam tido o mesmo problema, mas os ‘seguranças’ alegaram que não poderiam fazer nada.

“Levaram vários celulares, carteiras e outros objetos de dentro das bolsas, em pleno camarote…  Acionamos a segurança, mas nada foi resolvido”, explicou Jordana em entrevista ao Cadaminuto.

Este jornalista, ressalte-se, assistiu uma cena realizada por alguns seguranças em certo momento do show. Na entrada do banheiro masculino, ao perceber que jovens estavam comercializando entorpecentes, a ação foi de desorganização.

Antes, vale lembrar também que meia dúzia de seguranças agiam como se fossem PMs, no meio da multidão, não respeitando quem estava no pátio do show e passavam empurrando quem estivesse à frente. Quanto ao fato do banheiro masculino, a cena foi de despreparo total para tentar retirar os jovens – acusados ou não – de vender ilícitos dentro do evento.

Foi um ‘auê, fuzuê’ e com sinais visíveis de ignorância por parte dos seguranças ao retirarem os jovens do local e empurrando quem estava à frente. Ainda assim, gritando palavras de ordem “Sai da frente! Sai da frente!” e derrubando quem quer que seja. Que falta de respeito!

Portanto, faltou – sem dúvidas – a Polícia Militar para retirada desses rapazes da maneira que preconiza uma ação policial necessária. Não ao ‘modus operandi’ de despreparo que fizeram os seguranças do show, agindo ainda com Poder de Polícia, mas com um serviço prestado com ineficiência de quem não tem preparo para agir como ‘seguranças’ e assustando quem estava curtindo o evento.

Todo o conteúdo do Tribuna do Agreste está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral. É proibida a cópia/reprodução deste material em qualquer meio de comunicação sem a devida autorização. Se deseja compartilhar, utilize os meios fornecidos no Tribuna do Agreste.

Conclusão!

Fica a constatação que show grande em Maceió só gera ganhos e fortunas para os organizadores, no entanto, expõem uma imprestabilidade total de quem – por obrigação – deveria dar o bom atendimento ao consumidor, diante de preços caros e ao que está sendo pago, sem desvalorizar o público pagante.

Que o MPE, Procon e Órgãos fiscalizadores estejam atentos a esses tipos de eventos que visam – nada mais – do que os lucros financeiros, porém, sem o devido retorno possível para quem paga/compra caro o produto que é oferecido. Sem fiscalização, há o que temer?

Não é a primeira vez que o Blog Kléverson Levy denuncia a ineficiência dessas empresas de eventos que – de fato –  lotam os espaços, não dão apoio necessário ao público, vendem ingressos caríssimos e ainda cobram valores exorbitantes dos produtos dentro do show.

Ou seja, Garota Vip? Vip para os empresários que saíram lucrando milhões em cima de quem pagou muito caro para pouco retorno. Essa é a realidade de Alagoas!

#VidaQueSegue

Email: kleversonlevy@gmail.com

Redes sociais: @kleversonlevy e @blogkleversonlevy

Kleverson Levy

Especialista na cobertura política em AL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pressione ESC para fechar