webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px
webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px

Galba Neto, o regimentista, e a discussão sobre o título de cidadão a Bolsonaro

Por Kléverson Levy

O presidente da Câmara de Maceió, vereador Galba Neto (MDB), que tão regimentista se coloca, deveria avaliar melhor proposituras e indicações que não são de interesses da sociedade.

Galba Novaes Neto poderia discutir internamente – entre seus pares – Projetos de Decreto Legislativo antes de colocarem em votação.

Levar ao plenário da Casa de Mário de Guimarães um projeto que já nasceu intempestivo, a exemplo do que dispõe sobre a concessão do título de cidadão honorário de Maceió ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sem dúvidas, é uma afronta a boa parte dos maceioenses.

O legislativo não pode entrar em debates e discussões com interesses ideológicos, políticos e pessoais de quem foi eleito para legislar em prol da população.

Lembrando: lá se vão mais de 100 dias em que a “nova” Câmara de Vereadores de Maceió – ainda – não aprovou a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2021.

Aprova ou não aprova? Leia + Aqui! Mesa Diretora da Câmara de Maceió na ‘mira’ do MPE pela aprovação da LOA 2021

Quanto ao nobre vereador (recuso-me a citá-lo) que solicitou esse título ao presidente é o mesmo que recentemente discutiu – em sessão ordinária – a retirada de uma imagem publicitária que ele “achou” ser parecida com Che Guevara nos corredores da Câmara de Maceió.

Polêmico e destoante, aos assuntos de seus interesses, o edil já demonstrou que defende sua ideologia ‘Bolsonarista’ e esquece de que foi eleito para defender questões relacionadas aos problemas da capital de Alagoas.

Marcelo Palmeira foi contra proposta de colega na Casa / Fotos: Assessoria

Fico, todavia, com a fala do vereador Marcelo Palmeira (PP) que, neste momento, soube justificar a favor do momento em que vivemos de Pandemia e crise na saúde do Brasil.

“Nenhum cidadão ficará satisfeito em saber que passamos a tarde debatendo se Bolsonaro merece ou não o título de cidadão honorário. Milhares de mortes diárias, alto índice de desemprego, pessoas passando fome devido à pandemia. Nós temos que focar em discussões que sejam relevantes perante a situação que estamos vivendo. É preciso cobrar que os nossos governantes consigam mais vacinas e imunizem as pessoas. Essa é a verdadeira pauta e a mais justa que nós temos que trazer, porque essa Casa é caixa de ressonância da sociedade. E não estamos no momento apropriado para discutir concessão de títulos honorários”, enfatizou Marcelo Palmeira.

Por fim, entre o velho e o novo na Câmara de Maceió, o eleitor da capital alagoana mostrou que queria renovação. 14 novos edis, incluindo jovens, fazem parte da nova legislatura.

Sim, e daí? O que mudou?

#VidaQueSegue

Email: redacao@blogkleversonlevy.com.br

Redes sociais: @blogkleversonlevy

Deixe um comentário