Slider

Exclusivo: prefeito de Maribondo deve renunciar ao cargo

 Foto: Facebook

Ao Blog Kléverson Levy, a informação que chega com exclusividade de uma pessoa ligada ao prefeito de Maribondo, Leopoldo César Amorim Pedrosa, o Leopoldo Pedrosa (PSD), é que ele deve renunciar ao cargo que foi eleito em 2016.

Segundo a fonte fidedigna, Leopoldo vem sendo “perseguido politicamente” e, por conta ainda de decisões judiciais desfavoráveis, isso tem prejudicado o andamento da administração no município.


Considerado foragido da Justiça, já que estava  sendo monitorado por tornozeleira eletrônica e o Centro de Monitoramento de Tornozeleiras (COPEN) constatou que o equipamento havia sido rompido há dois dias, o chefe do Executivo de Maribondo também deverá se entregar à Polícia.


Em dezembro do ano passado, Pedrosa foi preso em um bar, na cidade de Arapiraca, quando tinha em mãos uma pistola e os policiais recolheram um quilo de cocaína que estava guardado na casa dele. 


A prisão, à época, se deu ao cumprimento de  um mandado de prisão pelo crime de homicídio. Logo em seguida, o gestor obteve um habeas corpus, deixou o presídio com tornozeleira e estava sendo monitorado.

Portanto, além de questões judiciais, Leopoldo Pedrosa enfrenta “grandes obstáculos políticos” para continuar administrando a cidade de Maribondo. A renúncia pode acontecer ainda nesta (tenebrosa) sexta-feira, 13, como revelou a fonte – com exclusividade – ao Blog Kléverson Levy

Com a renúncia de Leopoldo Pedrosa, a Prefeitura de Maribondo ficará sob o comando do vice-prefeito, Carlos Sérgio Marques Júnior, o Serginho Marques (PRTB). Em 2016, a dupla foi eleita com 3.472 dos votos (45.12% dos válidos) dos maribondenses. 


Em tempo!