‘Discussão’ entre AA e Jó Pereira precede disputa eleitoral à Prefeitura de Junqueiro

Fotos: Plínio Nicácio e Vinícius Firmino/Ascom-ALE

No debate ocorrido ontem, 17, no plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), entre os deputados estaduais Antônio Albuquerque (PTB) e Jó Pereira (MDB), sobre um evento de motociclistas na cidade de Junqueiro, realizado na segunda-feira, 16, deixou transparecer uma pré-disputa eleitoral dos grupos políticos para 2020. 

AA levantou a questão sobre uma blitz realizada pela Polícia Militar de Alagoas (PM-AL) – durante o evento – por conta do aparato policial que esteve no local. 

“Aquela população estava a comemorar, no passeio com motos, o aniversário de Emancipação Política do Estado. Pasmem! senhor presidente e senhores deputados. Lá no início do segundo horário, recebo a ligação do amigo Leandro informando que chegaram várias viaturas da PM, inclusive, com a presença de helicóptero, não apenas para realização da blitz, mas para impedir o evento. Eu achei aquilo uma atitude lamentável, desproporcional e de grande preocupação. Temos vídeos de registro desse episódio”, relatou Albuquerque. 

O parlamentar ainda tratou de chamar a operação da PM de “pirotécnica” e viu com estranheza a quantidade de viaturas e policiais, inclusive, com o apoio do helicóptero da Secretaria de Estado da Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL).  

“Peço a Assembleia que a gente possa enviar expedientes para que autoridades envolvidas apresentem os resultados dessa operação. Quantas motos roubadas foram presas? Quantas armas apreendidas? O que estava acontecendo em desacordo com o exercício natural da cidadania? Imagine Vossa Excelência que é normal, aos homens públicos, participarem desses eventos quando convidados. Se eu lá estivesse e chegasse várias viaturas para realização dessa blitz ou para impedir o evento, é fato que ia haver, ali, sem dúvidas, um problema. Eu não iria aceitar esse tipo de agressão e não vou”, reforçou AA.

Em reposta, a deputada Jó Pereira elogiou a atuação da Polícia militar no evento. Pereira reforçou sua fala explicando que existe uma cooperação e integração de todas essas forças e aparato policial naquela região que engloba os municípios circunvizinhos. 

“A atuação da Polícia Militar deve ser sempre observada por nós, parlamentares, e por toda sociedade civil. Gostaria de intensificar minhas considerações positivas acerca da nossa briosa PM. A cidade de junqueiro, em 2017, foi entregue uma Cisp (Centro Integrado de Segurança Pública), no qual aumenta o contingente de viaturas, homens e mulheres. Naquela região, deputado Antônio Albuquerque, talvez, o senhor não saiba, nós temos Cisps nas cidade de Junqueiro, Campo Alegre, Teotônio Vilela e São Sebastião. Então, existe uma cooperação e integração de todas essas forças e aparato policial naquela região”. 

Ainda em seu aparte, Jó reiterou que acredita na atuação livre e correta da força de Segurança Pública do Estado de Alagoas. A deputada estadual também não acreditou que a atuação da polícia passasse por grupos políticos e que a PM agiu para garantir a ordem pública. 
“Quero acreditar que, tendo agido a PM nesse sentido, ela deve ter feito dentro dos limites da legalidade, dentro dos limites da atuação da Polícia Militar, tendo em vista que, tivesse acesso a alguns vídeos da internet que motos empinavam pneus. Ao atuar apenas o contingente do Cisp de Junqueiro, trabalhando para as pessoas da localidade, a PM foi vaiada por alguns participantes da movimentação. Inclusive, quiseram atribuir a atuação da PM a grupos políticos, mas, não acredito que a atuação da polícia passe por grupos políticos. Acredito na atuação livre e correta da força de Segurança Pública do Estado de Alagoas. Gostaria de dizer a Vossa Excelência, ao contrário do que foi dito, que, se lá eu estivesse, eu faria questão que a PM tivesse feito o seu papel: o papel de garantir a ordem pública. É esse o papel da Polícia Militar de Alagoas. É esse o papel da força de Segurança Pública do nosso estado. Se a polícia atuou, eu quero respeitar a atuação. Não me preocupo com  o que aconteceu. A atuação aconteceu de pessoas que estão para garantir a ordem no estado. Que haja dentro da legalidade”, respondeu Jó Pereira.