Slider

Vídeo: Conselheiro Tutelar acusa prefeito de ‘perseguição política’ em Jequiá da Praia

Por Kléverson Levy

Diz a história interiorana que o Poder ele é capaz de tudo até para destruir os adversários. Imagine, portanto, os inimigos!

Mais uma vez, Jequiá da Praia ganha repercussão no Blog Kléverson Levy com um fato que movimenta a cidade desde o último sábado, 03.

O suplente de conselheiro tutelar, Thiago Ferreira, denunciou que vem sendo perseguido – politicamente – pelo prefeito da cidade jequiaense, Felipe Jatobá (PP).

Ferreira relatou em vídeo – que circula pelas redes sociais – o que vem ocorrendo no município. O fato se deve, principalmente, pela contratação como conselheiro suplente.

Ele – Thiago – teve o nome e documentos enviados à Secretaria Municipal de Assistência Social, porém, foi ‘barrado’ pelo prefeito quando descobriu de quem se tratava para assumir o cargo.

“O suplente mencionado [em resposta ao vídeo] pelo prefeito havia estado em minha casa uma semana antes. Na ocasião, ele deixou claro que não assumiria a função pelos cinco meses de férias dos membros do colegiado. O suplente esteve novamente em minha casa, dessa vez no dia em que minha contratação foi impedida pelo chefe do executivo. Ele afirmou que recebeu uma ligação do próprio prefeito garantindo que, ao final dos cinco meses, ele retornaria à função de professor. Se isso não é perseguição, eu não sei como definir toda a articulação realizada pelo próprio chefe do executivo municipal”, disse Ferreira.

Ferreira relatou em vídeo o que vem ocorrendo no município / Fotos: Redes Sociais

Além disso, e, a pedido do próprio gestor, um vereador teve que ‘desconvidar’ Ferreira para um cargo em que seria contratado como parte da assessoria do edil. Fato que – também – é tratado como perseguição política.

“O fato do prefeito Felipe assumir que “aconselhou” um vereador a indicar outra pessoa para uma função que teria sido oferecida, expõe não apenas uma grande incoerência, já que ele afirma lutar contra qualquer tipo de perseguição política, mas, também, um flagrante desrespeito ao princípio da separação dos poderes presente no art. 2º da Constituição Federal. Como chefe do executivo, o prefeito deveria dar exemplo e não interferir em decisões do poder legislativo. Esse trecho da nota deixa a impressão de que o prefeito está jogando toda a responsabilidade no colo do vereador mencionado por ele. Vale ressaltar que o prefeito foi o único a citar nominalmente o vereador em questão. Fazendo isso, ele apenas confirmou as afirmações feitas por mim no vídeo”, relata Ferreira.

Por conta dessas situações, criou-se o “mal-estar” entre o conselheiro e prefeito que não aceita que o suplente de conselheiro seja contratado, mesmo que outro colega tire férias como é permitido.

Veja o vídeo completo abaixo!

Resposta do prefeito

Em nota também divulgada nas redes sociais, o prefeito Felipe Jatobá respondeu às acusações do suplente de conselheiro.

Jatobá esclareceu que – em relação à ocupação do cargo do conselheiro Tutelar – não teve nenhum tipo de perseguição.

No caso do vereador, Felipe respondeu que ‘aconselhou o edil a dar uma oportunidade a alguém de sua confiança e que lutou pelos ideais’.

Em relação ao vídeo postado pelo Thiago, vou esclarecer alguns pontos.

Antes de tudo luto contra e abomino qualquer tipo de perseguição política. Política é um instrumento que deve ser usado para dar uma melhor condição de vida à população. A partir do momento que a política seja usada de outra forma, ela perde seu objetivo.

Aconselhei ao vereador Jaime Leite a dar uma oportunidade a alguém de sua confiança e que lutou pelos ideais que o vereador acredita. Deixando claro que qualquer indicação para ocupar uma assessoria na Câmara é, e deve sempre ser, responsabilidade do vereador eleito.

Com relação à ocupação do cargo do conselheiro Tutelar, não teve nenhum tipo de perseguição. Uma vez que quem assumirá a função de fato e de direito é Lívio Tavares, que é filiado ao mesmo partido político de Thiago.

Por fim, com relação ao fato citado pelo Thiago no dia da eleição, onde o mesmo afirmou ter se envolvido em uma discussão com minha irmã, acredito que toda mulher merece respeito, independente de ser minha irmã ou não. E, por isso, ela não deve ser ofendida, ter o dedo apontado em seu rosto, ou sofrer qualquer tipo de agressão verbal, física ou psicológica.

Jequiá escolheu-me democraticamente, e minha administração está prezando acima de tudo pela transparência total das minhas ações e atos.

Essa é a verdade dos fatos.

Felipe Jatobá.

#VidaQueSegue

Email: redacao@blogkleversonlevy.com.br

Redes sociais: @blogkleversonlevy

Deixe um comentário