webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px
webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px

Beltrão destaca importância dos três meses de pagamento do auxílio emergencial à população

Por Assessoria

A assessoria do deputado federal Marx Beltrão (PSD) informou que o parlamentar destacou a importância da prorrogação do pagamento do auxílio emergencial à população de baixa renda afetada pela pandemia da covid-19.

Beltrão defendia a extensão do pagamento do benefício que terminaria agora, em julho, e será estendido até outubro. Marx também vem atuando em prol do lançamento pelo governo federal de um programa de Renda Básica para a população mais carente.

Mais de 700 mil pessoas em Alagoas serão beneficiadas com a medida.

“O governo acerta ao prorrogar o auxílio emergencial por mais três meses, até outubro. Tenho defendido a prorrogação desse auxílio que beneficia mais de 40 milhões de brasileiros. É urgente agora um programa permanente de Renda Básica, para salvar mais vidas e aquecer a nossa economia. A situação de extrema pobreza no Brasil ainda é, infelizmente, uma realidade. Precisamos aumentar as políticas públicas voltadas para estas famílias”, disse o parlamentar por meio de suas redes sociais.

O deputado também ressaltou que o governo acertou ao editar uma medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário para custear o pagamento complementar do auxílio. No mês passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, informou que o custo mensal do programa, que paga um benefício médio de R$ 250 por família, é de R$ 9 bilhões.

O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia da covid-19.

Neste ano, a nova rodada de pagamentos prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil. As famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo.

É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial.

Por Assessoria

Deixe um comentário