Slider

Assessores de prefeito espalham que matéria publicada no Blog é “Fake News”

Foto: Redes Sociais

Em tempos de redes sociais, onde que todo mundo diz o que quer e publica o que quer, eis que alguns assessores do prefeito de Viçosa, David Brandão (MDB), espalharam na cidade que a matéria publicada no Blog Kléverson Levy se tratava de “Fake News”.

A propagação da informação negativa (desconstrução) em grupos de whatsapp e Instagram da cidade colocou em “xeque” – por diversas vezes – a autenticidade do material publicado e embasado em dados obtidos no próprio 

Portal da Transparência do município.


O caso foi mais além quando comparam o material jornalístico, apurado e com responsabilidade ao que seria uma “Fake News”. Para isso, em meio ao número de informações que chegam diariamente pelas redes sociais, é preciso ter cautela ao publicar, encaminhar e enviar informações.

Porém, em período eleitoral, fazem de tudo para enganar, ludibriar e manipular o eleitor na conquista do voto. No entanto, o Blog Kléverson Levy volta a reafirmar que a Prefeitura de Viçosa pagou – exatos – R$ 55 reais no litro de álcool em gel e R$ 50 reais no litro do álcool etílico (70%) para combater à Covid-19 no município.

Aliás, como manda o bom jornalismo, o espaço foi aberto para que o Executivo se pronunciasse dos fatos publicados, mas, não houve um posicionamento sobre tais denúncias.

Inclusive, o que ocorreu – apenas – foi uma entrevista que também circula pelas redes sociais (ver vídeo abaixo) da então secretária municipal de Saúde de Viçosa, Cláudia Rejane de Souza Monteiro, afirmando que “a compra do álcool foi no período em que o preço do material estava caro” e justificou ter sido realizada no início da Pandemia em março.

“Os processos foram abertos em março, no auge da Pandemia, o processo tramitou e foi pago em abril. Compramos o álcool em gel ao valor de R$ 55 reais porque foi o valor mais barato que encontramos. Inclusive, no processo existem dez cotações para provar que – naquela época – o preço estava assim exorbitante. Corríamos o risco de comprar, o que fosse necessário, ou fechar serviço porque não tinha álcool em gel. Optei por comprar para não deixar usuário sem atendimento. Agora, hoje, o cenário já mudou”, diz o trecho do áudio da secretária de Saúde.

Todavia, fica agora a cargo do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE-AL) investigar e entender o que – realmente – aconteceu para o valor tão alto na compra de produtos no tratamento da Covid-19 em Viçosa. A cidade, inclusive, está entre as vinte (20) Prefeituras alagoanas e o Governo de Alagoas que cumprem o princípio da publicidade.
Quanto ao fato da matéria, propagada como “Fake News”, é o discurso que a maioria dos gestores usam para enganar os munícipes em troca da imagem de “bom moço” e licitude nas ações do Executivo.

Já sobre a matéria publicada aqui no Blog Kléverson Levy abraço a ideia deixada pelo pensador George Orwell: Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade”.

Por fim, todo cidadão deve acompanhar mais o Portal da Transparência do município que é porta aberta para fiscalizar tudo o que está sendo gasto com o dinheiro do Povo.

Redes sociais: @kleversonlevy @blogkleversonlevy

Deixe um comentário