webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px
webbanner_BEM+AULAS COM CUIDADO_728x90px

Ameaças contra o prefeito de Palmeira deverão ser esclarecidas pela SSP-AL

Sem fanatismo, sem ligação política, sem revanchismo, sem adversários e sem ser situação ou oposição ao prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar (PSB), o “Imperador”, mas é necessário e urgente – agora mais do que nunca – que a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Alagoas (SSP-AL) aponte quem ameaçou o gestor.

Desde a publicação da matéria na Gazeta de Alagoas, no final de semana, não se fala em outra coisa na cidade a não ser a história que “Pistoleiros de AL e PE querem matar prefeitos” – como publicado no jornal desde o sábado, 27.

De acordo com nota enviada pela assessoria da SSP-AL, a Polícia Civil de Alagoas esclarece que ‘vem trabalhando de forma sigilosa nos dois casos (Palmeira e Ouro Branco, sem alarde e com a prudência que cogitações, nesse tipo de situação, requerem’.

Ainda segundo a SSP, a investigação está sob a responsabilidade do delegado Cayo Rodrigues, da Seção Especial de Roubo a Banco (SERB). Ele – o delegado – disse que a PC de Alagoas realmente investiga a existência de um suposto plano de assassinato do prefeito de Palmeira dos Índios.

Além disso, diligências e vários levantamentos estão sendo realizados nas cidades de Arapiraca e Palmeira dos Índios, em Alagoas, e no município de Bom Conselho, no interior de Pernambuco.
Blog Kléverson LevyBlog Kléverson Levy
Delegado Cayo Rodrigues, da Seção Especial de Roubo a Banco (SERB) / Foto: PC-AL
Portanto, a SSP-AL permanece nas investigações e, de fato, com a competência do delegado Cayo Rodrigues, pode ter certeza que teremos o resultado desse caso com mais agilidade e com os esclarecimentos que a sociedade precisa saber devido a grave denúncia do prefeito palmeirense.

O que disse Júlio Cezar?

Na manhã desta segunda-feira, 29, após grande repercussão nas redes sociais, na imprensa e na cidade, o prefeito Júlio Cezar se manifestou em nota sobre os fatos ocorridos no final de semana.

No texto, JC reforçou que tem sofrido ameaças e mais de um atentado já foi abortado. O gestor disse ainda que confirma o teor da reportagem, mas que em nenhum momento afirma que as ameaças que estou sofrendo têm conotação política.

“Tenho sofrido ameaças e mais de um atentado já foi abortado. Isso fez com que fosse necessário aumentar a minha segurança pessoal, pois não se pode brincar com isso. Confirmo o teor da reportagem, mas ressalto que em nenhum momento afirmei que as ameaças que estou sofrendo têm conotação política. Em vez disso, deixei claro que já fui vítima de um crime por questões de cunho estritamente pessoal. Quanto às atuais ameaças, quem dirá a origem e motivação é a Polícia Civil de Alagoas e o Ministério Público, que já tratam do assunto. Um trabalho sério e que deve ser respeitado”, ressaltou JC.

Quanto ao fato de políticos e adversários, a exemplo do prefeito de Estrela de Alagoas, Arlindo Garrote (PP), e o ex-prefeito de Palmeira dos Índios, James Ribeiro (PRTB), se manifestarem contra o que disse o “Imperador”, sob a condição de que poderiam ter envolvimento, JC não titubeou na resposta apontando ainda como “acusação” aos ex-aliados.

“Entretanto, é curioso perceber que aqueles que são conhecidamente ligados a crimes de mando, em Palmeira dos Índios e nas cidades próximas daqui, logo corram para tentar desqualificar as ameaças que sofri. Não vistam a carapuça, pois não a ofereci! Deixem que as forças de segurança do Estado, nas quais confio, possam esclarecer esta lamentável situação. Por fim, agradeço o apoio de todos os amigos e deixo claro que nada me fará parar o trabalho pelo povo de Palmeira dos Índios. Entrei na vida pública sabendo dos riscos que também poderiam correr quando enfrentasse as oligarquias da região”, concluiu o prefeito de Palmeira.

Vamos aguardar!


Deixe um comentário