Slider

Agência AL: Panorama da nova fase amarela no estado

Por Agência Alagoas

O governador Renan Filho anunciou, nesta quinta-feira (4), novas medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19 em Alagoas.

A principal mudança é o retorno de todo o estado para a Fase Amarela do Distanciamento Social Controlado, a partir de 00h desta sexta-feira (5), com vigência pelos próximos sete dias.

Estão suspensos eventos e festas em geral, o funcionamento de boates está proibido, e o horário de funcionamento de estabelecimentos comerciais sofreu alterações para diminuir a circulação de pessoas nos momentos de pico do transporte coletivo.

Também foram suspensas as cirurgias eletivas na rede pública pelos próximos 15 dias, com exceção dos casos de câncer e de doenças cardiovasculares.

De acordo com o novo Decreto Governamental, que será publicado no Diário Oficial do Estado ainda nesta quinta-feira, o horário de funcionamento diário de bares, restaurantes e similares passa a ser autorizado com 50% da capacidade de público e entre as 6h e as 23h.

Academias, clubes e centros de ginástica passam a funcionar com 50% de sua capacidade.

Lojas localizadas no bairro do Centro de Maceió poderão abrir das 9h às 17h durante a semana e das 8h às 13h no sábado; lojas de rua e galerias comerciais de todo o estado funcionarão das 10h às 19h, de segunda a sábado; e os shoppings centers de toda Alagoas passam a funcionar das 11h às 21h.

Os templos, igrejas e demais instituições religiosas poderão abrir com 60% da capacidade de público e o transporte intermunicipal e turístico deve operar com 50% da sua capacidade.

“Tomamos a decisão de não restringir drasticamente”, explicou o governador Renan Filho, durante coletiva imprensa. “Não estamos suspendendo de maneira definitiva nenhuma atividade, com exceção de eventos e festas em geral, que estão suspensas, mas estamos no limite máximo do que o equilíbrio permite”, pontuou.

Fotos: Márcio Ferreira/Agência Alagoas

Elevação de óbitos em AL

A alteração nos indicadores da Covid-19 no estado – principalmente a elevação do número de óbitos por semana epidemiológica e da taxa de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) registrada nos últimos 15 dias – obrigou o Governo de Alagoas a publicar o novo decreto que determina a mudança para a Fase Amarela após quase seis meses na Fase Azul.

“O número de casos ativos tem aumentado seguidamente ao longo das últimas semanas e o número de internações tem crescido decisivamente”, alertou o governador.

“Entretanto, é fundamental entender que, numa pandemia como essa, a doença não é individual: a doença é coletiva. Cada um precisa fazer a sua parte para que a doença não tome conta do estado como tem tomado de outras partes do país”, advertiu Renan Filho, ao lado do chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias, e dos secretários de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, e do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques, além do presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Hugo Wanderley.

Colaboração de todos

Durante o pronunciamento, Renan Filho reiterou que o enfrentamento à Covid-19 tem duas frentes principais: os investimentos do Governo e colaboração dos cidadãos.

“Se o distanciamento social e os cuidados com a higienização das mãos não forem intensificados, nós veremos a nossa taxa de ocupação hospitalar crescer. Ter leito de UTI não significa salvar todas as vidas porque uma parte das pessoas internadas na UTI não sobrevive”, disse.

“Estamos trabalhando duro para oferecer às pessoas a oportunidade de se tratarem e salvarem-se da doença. Vamos seguir abrindo leitos – já estamos com mais leitos de UTI do que no auge da crise da primeira onda –, mas mesmo com os investimentos feitos pelo Governo do Estado, com novos hospitais abertos e parceria com hospitais privados e filantrópicos, temos um limite. Se esse limite chegar, precisaremos tomar outras medidas restritivas”, considerou.

“Pode voltar mais fases? Pode. Tem mais duas. A laranja e a vermelha, em que as restrições são bem maiores”, finalizou o governador.

Deixe um comentário