Webbanner_BEM_728x90px
Webbanner_BEM_728x90px

Advogada acusa presidente da OAB-AL de agir por “preconceito” em processo judicial

Foto: Internet

Em informações enviadas ao Blog Kléverson Levy, a advogada Adriana Mangabeira Wanderley diz que foi alvo de ofensas à sua honra nos autos de uma ação criminal.


Segundo Adriana Mangabeira, o agravo foi proposto pelo advogado Nivaldo Barbosa Júnior, atual presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AL) em Alagoas.


De acordo com detalhes repassados ao Blog, os ataques ocorreram nos autos do processo Nº 0700803-63.2017.8.02-0062, em trâmite na 10ª Vara Criminal da Capital.


A ação veio à tona, como explica Mangabeira, após a advogada propor reclamação disciplinar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o então presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), desembargador Tutmés Airan, denunciando um suposto esquema de vendas de decisões judiciais em Alagoas.


Na petição, ajuizada pelo presidente da OAB, foi considerada a advogada como sendo uma pessoa ‘desequilibrada e dependente química’.


“…. II – Seja determinada a submissão da Querelada à exames de sanidade mental e de dependência química, afinal, excluindo-se a hipótese de simples maldade, o enredo mirabolante por ela criado somente pode ser obra de pessoa acometida de distúrbios mentais, sejam eles provocados ou não pelo uso de psicotrópicos, como dispõe o art. 149 do CPP….;” revela o texto extraído da Petição.



Implicações


Já para a defesa da advogada e desportista, as acusações causaram danos como profissional e atleta, ou seja, diante das implicações de ordem moral e psicológicas.


“Para salvaguardar a honra, como também, a honra de todas as mulheres, pois, a conduta do ofensor denota preconceito e machismo, a ofendida ajuizou queixa-crime, em trâmite na 10ª Vara Criminal da Capital, por calúnia, injúria e difamação, afirmando acreditar inteiramente no Poder Judiciário para o resgate de sua dignidade, restaurando a verdade, e fazendo Justiça”, reforçou a defesa de Adriana Mangabeira Wanderley.


O que disse Nivaldo?  


Em contato com a assessoria da OAB-AL, o Blog Kléverson Levy obteve a seguinte resposta do presidente da entidade para tais acusações da advogada.

“A ação N.º 0700803-63.2017.8.02-0062 foi ajuizada por mim [Nivaldo Barbosa], após inúmeros ataques que recebi. Segui o caminho correto: solicitar providências à Justiça, inclusive, para avaliar se ela está no pleno controle da sua sanidade mental. A ação tramita, desde 2017, a passos lentos porque a advogada se nega a responder e foge dos oficias de justiça. Tenho total interesse na conclusão do processo, espero que a referida colega se apresente na Justiça e deixe de procurar palco na imprensa”, disse Nivaldo Barbosa através da assessoria da OAB.

Deixe um comentário