Governador e Sesau: um apelo em defesa do Hospital Hélvio Auto

Fotos: Assessoria/Hélvio Auto


Ao governador Renan Filho (MDB) e ao secretário de Estado da Saúde (Sesau), Alexandre Ayres, peço uma atenção especial ao Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA), a unidade assistencial da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal).

O também conhecido Hospital de Doenças Tropicais (HDT) há décadas não passa por uma reforma na parte de estrutura física. O prédio que é antigo e, ao que parece, resiste desde o início de sua inauguração, é o exemplo de amor e respeito à vida, às pessoas e à humanidade.

Dentro do Hospital Escola Dr. Hélvio José de Farias Auto, que é uma homenagem ao médico/professor pertencente ao quadro efetivo do hospital e pioneiro no estudo das doenças infecciosas em Alagoas, existe um coração que bate forte chamado de médicos, enfermeiros, estudantes, técnicos, serviços gerais, seguranças, porteiros, recepcionistas e todos os profissionais - sem exceção - que trabalham unidos pelo bem-estar e saúde dos pacientes.

Indubitavelmente, todas as pessoas (repito: todos profissionais sem exceção) que exercem suas profissões no HDT, da portaria à UTI, trabalham - de fato e verdade - por amor ao próximo. Seja rico ou pobre; de qualquer cor, raça ou etnia; e qualquer classe social, todavia, não existe diferenças ou preferências quando o assunto é cuidar da VIDA dos alagoanos.

O Blog Kléverson Levy  teve a oportunidade de ver de perto como é o trabalho desses profissionais que, apesar de uma estrutura física (prédio) quase que precária e já devastada pelo tempo de sua construção, entretanto, conta com homens e mulheres comprometidos com a saúde da população e que exercem suas funções com um profissionalismo (e amor à vida) acima de qualquer dificuldade encontrada até pela ausência ou esquecimento do Poder Público.

HDT ou Hélvio Auto é referência no tratamento de doenças infectocontagiosas e mantém sua função de Hospital Escola, atendendo, exclusivamente, aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e, desde de 2005, sendo referência no tratamento de doenças infectocontagiosas em todo o estado de Alagoas.

Escrevo este texto para defender uma causa justa e me colocando no lugar de famílias alagoanas que precisam da atenção do Estado nessa área da saúde. Assim, como um defensor em prol dos alagoanos e de milhares de enfermos, pedir ao governador Renan Filho e ao secretário Alexandre Ayres melhorias - principalmente - na parte de estrutura física do Hélvio Auto, bem como, a necessidade de uma reforma ou até um novo prédio, além de equipar o hospital com o que é viável no atendimento aos enfermos. 

São dezenas de alagoanos que precisam realizar tomografias, ressonâncias e diversos outros exames fora do hospital e, em sua maioria, essas pessoas não têm condições - sequer - de pagar para ter o resultado que objetivam no tratamento.

Não à toa, o governador Renan Filho tem feitos propagandas e inaugurado novos hospitais, a exemplo da Mulher, Metropolitano e do Norte. Contudo, é preciso dar atenção aos já existentes, como também, estruturar essas unidades de saúde na parte física e profissional, a exemplo do Hélvio Auto e o Hospital Geral do Estado (HGE), para Alagoas ser referência - de fato - no atendimento às pessoas.


Não basta apenas inaugurar hospitais, senhor governador, se não tiver profissionais dedicados à vida, às pessoas, à saúde e mão de obra para o trabalho de excelência, como existe dentro do HDT. É necessário, portanto, que  olhem com carinho e - especialmente - para o Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA).

São pequenas obras e gestos administrativos que o Estado realizar para que grandes profissionais envolvidos diariamente com o hospital, trabalhando de domingo a domingo, engrandeçam ainda mais o nome de Alagoas como referência no tratamento das doenças infectocontagiosas.

Por fim, segundo a assessoria do Hospital Escola Dr. Hélvio José de Farias Auto, ao ser contactada pelo Blog Kléverson Levy, "após a pandemia, o secretário Alexandre Ayres viu a necessidade de uma ampliação da UTI e que já existe processo aberto para esta reforma".

Afinal, atualmente a unidade de saúde tem apenas sete (7) leitos, quando deveria aumentar essa quantidade pelo número de pacientes que chegam para ser tratados no local. Ou seja, que a necessidade de uma ampliação da UTI e uma reforma no prédio, como também, equipar o hospital, sejam realizados o mais rápido possível. A saúde e a doença não esperam por decisões políticas. Devem acontecer para ontem! 

Vamos à luta em defesa da vida, das pessoas e dos alagoanos que necessitam do Hospital Hélvio Auto!

Redes sociais: @kleversonlevy @blogkleversonlevy


Comentários (0)


Deixe um comentário