"Covidômetro" aponta AL com maior avanço de casos e o 3º por mortes no Nordeste

Fotos: Ilustração

Numa análise feita pela Agência Tatu - que teve como base os dados fornecidos pelo Ministério da Saúde e calculados pela plataforma denominada "Covidômetro" - o estudo mostra que Alagoas tem o maior avanço de casos da Covid-19 e é o terceiro por mortes da doença no Nordeste.

Segundo a Agência, os dados do Ministério da Saúde apontam que, em terras alagoanas, a cada 1 hora e 16 minutos um novo caso da doença é registrado, o que aponta o estado com o maior avanço do Coronavírus na região nordestina.

Para se ter uma ideia, ontem, 04, de acordo com Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), 13.096 casos da Covid-19 foram confirmados em Alagoas.

Ou seja: 4.325 estão em isolamento domiciliar; 362 internados em leitos públicos e privados; 7.876 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença; 1.605 casos em investigação laboratorial; e, apenas ontem, 04, foram 25 mortes em território alagoano.

Resultado: Alagoas teve - até quinta-feira, 04 - 531 óbitos por Covid-19.

Sendo assim, Alagoas também se destaca na terceira posição entre os estados do Nordeste, quanto à velocidade de óbitos: uma vítima a cada 1 dia, 19 horas e 48 minutos, de acordo análise feita na quarta-feira (03).

Os cálculos, extraídos do Covidômetro - ferramenta desenvolvida por pesquisadores da Universidade Federal de Campina Grande, na Paraíba -  no dia 1º de Junho, são feitos considerando a proporção para cada 100 mil habitantes, com registros a partir do dia oito de março, e atualizados constantemente. Por esse motivo, podem apresentar variação de um dia para o outro.

“Se Alagoas, por exemplo, permanecer nessa situação trágica por muito tempo, falando de mortes, vamos chegar num momento que vai estar morrendo mais gente de Covid-19 do que de qualquer outra doença”, afirma o pesquisador Maxwell Guimarães de Oliveira, um dos desenvolvedores do Covidômetro, que teve como base a taxa de mortalidade do novo coronavírus e o relatório anual de mortalidade, do Ministério da Saúde.

O pesquisador explica ainda que as classificações (situação de normalidade, controlada, grave, crítica e trágica) servem de alerta e demandam uma ação rápida de controle.

Portanto, a situação de Alagoas é complicada e tende a ser muito grave, tanto que, a Sesau,  reconhece o avanço da Covid-19 e disse que medidas estão sendo tomadas para evitar um cenário ainda pior.

Redes sociais: @kleversonlevy e @blogkleversonlevy 


Comentários (0)


Deixe um comentário