Barbosa enfrentou o Palácio e o eleitor arapiraquense foi 'escudo político'

Foto: Facebook

A candidatura do atual vice-governador, Luciano Barbosa (MDB), a prefeito de Arapiraca, causou um grande impasse jurídico nunca visto em pleitos anteriores em Alagoas.

A influência dos Calheiros, leia-se Renan (Pai) e Filho (governador), foi de uma atuação inimiga para tentar barrar o nome do agora ex-aliado na briga pela cadeira de prefeito da terra de Manoel André.

Porém, ao enfrentar o Palácio República dos Palmares, Luciano Barbosa teve como 'escudo político' o eleitor arapiraquense.

Eleito com 59.249 votos (54,56% válidos), o ainda vice-governador mostrou seu poderio político no pleito de 2020 sem o apoio dos Calheiros.

A população de Arapiraca, mesmo com a candidatura sub judice, não teve dúvidas sobre a candidatura de Barbosa ao depositar a maioria dos votos nas urnas.

Pelo visto, a vitória do prefeito eleito de Arapiraca poderá ter novos capítulos pós-eleição. No entanto, é bom lembrar que 59.249 votos disseram sim ao nome de Luciano Barbosa como prefeito.

Todavia, a lição que fica é: onde há fogo, há fumaça. O Palácio República dos Palmares pode está em chamas? Será?

Redes sociais: @kleversonlevy @blogkleversonlevy


Comentários (0)


Deixe um comentário