Covid-19: projeto aponta local onde artesãos produzem máscaras em Maceió

Foto: Site da Prefeitura

O combate e a prevenção contra o novo Coronavírus aumentaram a procura por máscaras de proteção.

Pensando nisso, a Prefeitura de Maceió, por meio do Gabinete de Governança (GGOV), junto com a Secretaria Municipal de Economia (Semec) e a Secretaria Municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes), criou o Projeto Minha Máscara, mapeando artesãos e costureiros cadastrados na Economia Solidária, que estão produzindo as máscaras de acordo com a orientação do Ministério da Saúde, para facilitar o acesso dos munícipes e dar mais visibilidade aos componentes da Economia Solidária.

Quando o usuário acessa o mapa, clica no ícone verde mais próximo de sua casa. O mapa mostra um resultado, então o interessado clica no pin – localização – em vermelho na parte inferior da tela e a ferramenta informa o contato da artesã ou do artesão cadastrado.

Cada vez mais as máscaras de proteção industrializadas estão escassas. Com isso, as máscaras de pano, produzidas de forma caseira, vêm se tornando uma alternativa/solução que funciona como barreira na propagação da covid-19.

Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações, que são simples. É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja, dupla face. E mais uma informação importante: ela é individual. Não pode ser dividida com ninguém. As máscaras caseiras podem ser feitas, preferencialmente, em tecido de: algodão, tricoline e TNT.

Atenção

É fundamental que as máscaras sigam as recomendações do Ministério da Saúde, sendo feitas na medida certa: cobrindo totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

Para que as máscaras de pano sejam confeccionadas e utilizadas pelos cidadãos durante a pandemia do Coronavírus, algumas recomendações devem ser seguidas: Se ficar úmida, tem que ser trocada, pode lavar com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 30 minutos, além de nunca compartilhar, porque o uso é individual.

O endereço dos artesãos e costureiros identificados no mapa não informa o número da casa. Para ter acesso à localização exata, é preciso entrar em contato com o responsável pelo número do telefone disponível na ferramenta de acesso.

Por Ascom GGOV/ Prefeitura de Maceió 


Comentários (0)


Deixe um comentário